foto-logo-radio Radio Aparecida FM 105,9 ligue 3236 1018 / 991157718

Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Governo apresenta tabela que vai ajudar a definir tarifas de pedágio no Paraná; veja exemplos

Postado em 05/08/2021 por

Compartilhe Agora!

Números foram apresentados em reunião do governo com deputados da base aliada nesta quarta (4). Praça com preço mais caro, de R$ 26,40 para carros, deve ir a leilão a R$ 11,89.

Uma tabela que vai ajudar a definir o preço das tarifas de pedágio no Paraná nas novas concessões foi apresentada nesta quarta-feira (4) pelo Governo do Paraná em uma reunião com deputados da base aliada no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Veja números mais abaixo.

O encontro também contou com a participação do governador Ratinho Junior (PSD), do secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e de técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR).

Segundo o governo, os novos contratos de pedágio vão seguir o modelo de menor preço. As atuais concessões vencem em novembro deste ano.

Para garantir a realização das obras, o governo estadual e o Ministério da Infraestrutura optaram pelo aporte financeiro, valor depositado como garantia de que a empresa tem condições de executar as obras e fazer a manutenção das rodovias.

Como a empresa vencedora não pode mais resgatar esse dinheiro, o desconto oferecido na tarifa tende a ser mais baixo. Mas o risco das obras não serem feitas também é menor. Quanto maior o desconto, mais o valor a ser depositado pela empresa.

“Nós tivemos que convencer o ministério a fazer algo que seria exclusivo para atender o Paraná. É como se fosse negociar um carro, a pessoa pede um preço x e você joga lá embaixo para achar um preço que nós entendemos que é o ideal. Com o setor produtivo, achamos um meio termo que garante obras, mas ao mesmo tempo aumenta a disputa do desconto”, afirma o governador.

No início das discussões, os governos estadual e federal divergiram sobre os valores, o que levou a uma longa negociação. O martelo foi batido na semana passado, e os valores apresentados na reunião desta quarta.

Tabela de preços

A tabela apresentada pelo governo mostra o valor do aporte financeiro para a quantidade de desconto oferecida pelas concessionárias. Para 1% de desconto na tarifa, a empresa vencedora terá que depositar R$ 15 milhões. Não há limite de desconto.

A cada ponto percentual, o valor de depósito aumento. Por exemplo, para oferecer 10% de desconto a empresa terá que desembolsar R$ 150 milhões. Nos 25%, o valor do aporte passa de R$ 1,5 bilhão. No caso de 30%, chega a quase R$ 2 bilhões.

O dinheiro do aporte foi batizado pelo governo de seguro usuário. O valor fica depositado em uma conta em nome da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e pode ser usado a partir do quinto ano de concessão.

Quem vai decidir como esse dinheiro será gasto serão os usuários, por meio de audiências públicas. A população poderá escolher entre diminuir o valor do pedágio ou dar início a novas obras que não estavam previstas em contrato.

“Têm praças que vai ter desconto ainda maior e praças que podem ter desconto um pouco menor. Mas, em média, é de 40% a 50% que a gente acredita que vai ter de desconto no pedágio. Com um detalhe: obras”, explica o governador.

Para o novo modelo de concessão, as estradas vão a leilão por um valor, em média, 30% menor do que atualmente é cobrado dos usuários. A tendência é a de que o preço caia ainda mais com os descontos oferecidos durante a disputa.

Por exemplo, a praça de pedágio de Jataizinho, no Norte Pioneiro, que hoje tem a tarifa mais cara do Paraná, o preço cobrado é de R$ 26,40 para carros. Esse lote deve ir a leilão a R$ 11,89, segundo o governo.

As concessionárias vão dar os descontos em cima desse valor base. Conforme o governo, a tarifa dessa praça pode chegar a R$ 8,91, caso o desconto seja de 25%.

Concessão de rodovias estaduais

Na mesma reunião, o governador entregou ao presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Ademar Traiano (PSDB), um projeto de lei que passa a administração de rodovias estaduais ao governo federal.

As estradas que pertencem ao estado só podem ir a leilão se os deputados estaduais autorizarem. Dos mais de 3 mil km de rodovias que farão parte da nova concessão, mais de 1,1 mil km são de estradas estaduais.

Novo modelo de pedágio

O novo modelo prevê investimentos de R$ 43 bilhões em seis lotes, com obras de duplicação, contorno e trincheiras. O governo estadual já informou que os atuais contratos não serão renovados após 27 de novembro.

O estado vai assumir a administração das rodovias até que seja marcado o leilão para definir as novas concessionárias que vão administrar as estradas no Paraná pelos próximos 30 anos.

G1

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.